loader

Justiça determina cassação de mandatos de prefeito e vice-prefeita de Cerro Grande

  • Home    /
  •    Notícias    /
  • Justiça determina cassação de mandatos de prefeito e vice-prefeita de Cerro Grande
Justiça determina cassação de mandatos de prefeito e vice-prefeita de Cerro Grande

Judiciário entendeu que equipe contratada pelos políticos, com a ajuda de cabos eleitorais, ameaçou eleitores para angariar votos em 2020.

Defesa afirma que vai recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral.

Vice-prefeita e prefeito de Cerro Grande Prefeitura Municipal de Cerro Grande/Divulgação A 64ª Zona Eleitoral decidiu cassar os mandatos do prefeito e da vice-prefeita de Cerro Grande, no Norte do Rio Grande do Sul.

O juiz Edvanilson de Araújo Lima entendeu que Valmor José Capeletti e Glaucia Regina Brocco, ambos do PP, coagiram eleitores para obter votos durante a eleição de 2020.

Além de condenar os políticos a perder os cargos, o magistrado determinou o pagamento de multa de R$ 53.

205 cada um.

A decisão foi publicada no último sábado (11) e cabe recurso junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O advogado que defende os políticos, Antônio Luiz Pinheiro, disse que discorda da decisão e que se prepara para entrar com um recurso em segunda instância.

"Inexistem provas nos autos de que haja participação deles.

É tão somente o depoimento, a palavra, das alegadas vítimas.

Por isso, entraremos com recurso", afirmou.

O prazo para o recurso vai ser aberto no dia 23 deste mês.

Na prática, Capeletti e Glaucia seguem ocupando os cargos de prefeito e vice até que haja julgamento por parte do TRE.

Se o tribunal confirmar as condenações, o presidente da Câmara de Vereadores da cidade é quem assume a gestão municipal.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) acusou a dupla de "captação ilícita de sufrágio" e "abuso de poder econômico".

A chapa teria contratado uma equipe para realizar atividades ilegais que beneficiassem a candidatura.

Os integrantes teriam recebido um carro, combustível, armas de fogo e munição para isso.

Também, que esse grupo, com a ajuda de cabos eleitorais e apoiadores, teria praticado atos de violência e ameaça durante a campanha eleitoral.

Onze pessoas foram denunciadas por isso.

O magistrado entendeu, a partir das provas coletadas durante a investigação do MPE e durante o processo, que eleitores foram coagidos a votar nos políticos, razão das condenações.

O crime foi caracterizado como "captação ilícita de sufrágio, na modalidade coercitiva".

VÍDEOS: Tudo sobre o RS


Publicada por: Rádio Cidade 100.7 FM

BAIXE NOSSO APP

Utilize nosso aplicativo para escutar CIDADE FM LITORAL direto de seu dispositivo movel.

img

Copyright © 2020 CIDADE FM LITORAL. Todos os direitos Reservados.

Adonis Music R&B