loader

Polícia indicia proprietários de parque de diversões por queda de carrinho em montanha-russa no RS

  • Home    /
  •    Notícias    /
  • Polícia indicia proprietários de parque de diversões por queda de carrinho em montanha-russa no RS
Polícia indicia proprietários de parque de diversões por queda de carrinho em montanha-russa no RS

Quatro pessoas ficaram feridas no acidente, em fevereiro.

Perícia concluiu que excesso e má distribuição de peso causaram o descarrilamento e capotamento.

Parque não tinha documentos obrigatórios, equipamento não era estável e não havia supervisão direta de responsável técnico.

Carrinho da montanha-russa saiu dos trilhos e se chocou contra o chão, ferindo quatro pessoas da mesma família Divulgação / Polícia Civil Os proprietários do parque de diversões Top Park, em Imbé, no Litoral Norte, foram responsabilizados pela Polícia Civil por um acidente que feriu quatro pessoas em fevereiro deste ano.

Um engenheiro lotado como responsável técnico pelo equipamento também foi responsabilizado.

Um carrinho de montanha-russa descarrilou e se chocou contra o chão, ferindo integrantes da mesma família que estavam no equipamento: um homem de 32 anos, duas mulheres de 25 e uma criança de 9.

Todos receberam atendimento médico no Hospital Tramandaí e tiveram alta em seguida.

O advogado que defende o parque, Vinícius Iraí, respondeu que e e seus clientes irão "aguardar o MP [Ministério Público] e nos manifestaremos nos autos, como estamos fazendo até o momento".

Leia mais: Carrinho desprende de montanha-russa e quatro pessoas ficam feridas no Litoral Norte do RS 'A gente podia ter morrido, podia ter sido muito pior', conta mulher ferida após carrinho cair de montanha-russa no RS Justiça bloqueia brinquedos de parque de diversões do RS após acidente em montanha-russa De acordo com o delegado Antônio Carlos Ractz Júnior, eles foram indiciados por lesão corporal dolosa (agiram de forma consciente) de natureza leve, leve majorada e grave.

A Perícia Mecânica do Departamento de Criminalística do Instituto-Geral de Perícias (IGP) concluiu que o excesso e a má distribuição de peso causaram o descarrilamento e posterior capotamento do carrinho.

"[O parque] não atendia às normas de ABNT [Associação Brasileira de Normas Técnicas].

Não possuía documentos obrigatórios: prontuário do equipamento, manual de operação e livro de Registros.

O equipamento não estava bem nivelado.

Não havia supervisão direta do responsável técnico.

Os operadores não possuíam treinamento adequado nem davam instruções claras ao público, tampouco controlavam o embarque de usuários com relação ao limite de carga e ao uso do cinto de segurança", relata o delegado.

Carrinho caiu de montanha-russa em Imbé Maria Eduarda Ely / RBS TV O delegado ainda destaca que, durante a investigação, provas indicaram que a empresa que atuava no local não era a mesma que recebeu a permissão da Prefeitura de Imbé.

"O Termo Administrativo de Autorização de Uso Precário e Provisório de Área Pública autorizou a 'empresa X' a utilizar o local para instalação do parque de diversões.

No entanto, a 'empresa Y' foi quem explorou a atividade, o que era vedado.

Os equipamentos de diversão, inclusive a montanha-russa, eram de propriedade da 'empresa 'Y', diz.

O inquérito foi remetido ao Ministério Público (MP-RS) para análise.

Se o MP concordar com a conclusão da polícia, vai oferecer denúncia à Justiça.

Se a Justiça aceitar a denúncia, os indiciados se tornarão réus no processo e começarão a ser julgados.

Carrinho de montanha-russa cai e deixa quatro feridos em Imbé VÍDEOS: Tudo sobre o RS


Publicada por: RBSYS

BAIXE NOSSO APP

Utilize nosso aplicativo para escutar CIDADE FM LITORAL direto de seu dispositivo movel.

img

Copyright © 2022 CIDADE FM LITORAL. Todos os direitos Reservados.